Você sabe qual é a diferença entre solitude e solidão?

Paul Tillich, um dos mais importantes teólogos do século XX, escreve uma linda citação em seu livro The Eternal Now, O Eterno Agora:

“A linguagem (…) criou a palavra solidão para expressão a dor de estar sozinho. E criou a palavra solitude para expressar a glória de estar sozinho”.

Em inglês: “Language… has created the word ‘loneliness’ to express the pain of being alone. And it has created the word ‘solitude’ to express the glory of being alone”.

Solidão – A dor do vazio, a dor de sentir-se sozinho 

Ah, a solidão, tanto é dito sobre essa companheira, mas tão poucas são as conclusões, há sempre algo a dizer. Talvez, o motivo de tantas explicações, seja o vazio, o inexplicável, vazio.

É quase natural do ser humano, viver em busca de algo. Para este bicho, há sempre algo faltando. O motivo? Não se sabe, talvez a gente não consiga encontrar algum contentamento, insistimos em procurar aquilo que não está, mas pouco refletimos sobre o que está em nossas mãos, então, nos sentimos sozinhos, insatisfeitos.

Tratar das dores humanas é realmente complicado, não há uma fórmula exata para nos sentirmos bem. Cada pessoa irá encontrar alegria em uma coisa, que para outra, pode ser totalmente boba e irrelevante.

A solidão, no sentindo amplo da palavra, não pode ser diferente, cada pessoa a vê de uma forma, logo não dá para afirmar se esta é boa ou ruim.

Solitude – O prazer de estar sozinho

Nesse ponto, iremos olhar a solidão em uma outra perspectiva. Quem disse que estar sozinho é necessariamente ruim? Pode não ser.

Arthur Schopenhauer disse:

“A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais.”

 Schopenhauer costumava ter uma opinião muito boa sobre aqueles que gostam da solidão, porque estes, seriam os indivíduos com maior intelecto.

“Na solidão, onde todos se veem limitados aos seus próprios recursos, o indivíduo enxerga o que tem em si mesmo.”

Arthur Schopenhauer  in ‘Aforismos para a Sabedoria de Vida

Pode ser valioso saber ficar sozinho, sentir-se bem no silêncio das horas, significa que você está bem com quem você é.

Para uma sociedade extrovertida como a nossa, estar sozinho (e querer estar sozinho) é erroneamente associado com um problema, no entanto, estar sozinho pode ser estar feliz e livre.

Optar pela solidão, pode demostrar maturidade, independência emocional, coisa que pode ser essencial para uma vida boa, afinal, quando a mesma pessoa que optou pela solidão, escolher a companhia, será uma boa companheira.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Isadora Tabordes

Isadora Tabordes

Cofundadora e desenvolvedora dos sites Vida em Equilíbrio e Demasiado Humano. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas. Atualmente é mestranda em Filosofia Moral e Política pela mesma universidade. 

"Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.
Janelas do meu quarto, do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é...
E se soubessem quem é, o que saberiam? Fernando Pessoa