4 coisas que destroem o seu relacionamento em silêncio

“Às vezes, mantemos o silêncio para proteger um relacionamento bonito, mas muito silêncio cria uma distância em todo relacionamento bonito.” – Desconhecido

Em um relacionamento, é comum que um ou ambos os parceiros deem o “tratamento do silêncio” quando experimentam raiva, desapontamento, frustração ou qualquer outro tipo de emoção negativa por conta do outro.

Períodos curtos de silêncio, antes do retorno ao diálogo regular pode ser uma coisa positiva; Às vezes, precisamos de um espaço para “limpar nossas cabeças” – e o silêncio pode fazer exatamente isso.

Quando esses períodos de silêncio se tornam mais longos – e mais frequentes – a coisa fica séria. A comunicação eficaz é indiscutivelmente o componente mais essencial de qualquer relacionamento bem-sucedido.

Anjhula Mya Singh Bias, psicóloga PhD, afirma: “Muitas vezes, os parceiros param de se comunicar porque um ou ambos sentem que a comunicação vale a pena.”

Abaixo estão quatro assassinos silenciosos de uma relação e ações que podem ser tomadas para combatê-los:

1. Falta de atenção e validação

Um cenário típico: um parceiro diz ao outro que está magoado por algo que o outro o fez, e sua resposta é que isso é exagero. Se esses tipos de interações tornam-se mais frequentes, um ou ambos os parceiros são propensos ao silêncio.

Os peritos em relacionamento recomendam alguns comportamentos que podem impedir que tais dificuldades da comunicação surjam. A primeira recomendação é abster-se de mensagens de texto. A razão é simples: mensagens de texto não podem retratar a linguagem corporal ou entonação – duas partes essenciais da comunicação eficaz. Em segundo lugar, escolher um lugar para falar sem distrações. Estar um com o outro sem distrações potenciais aumenta a eficácia do que está sendo dito, e também incentiva o contato visual. Em terceiro lugar, a prática de empatia e escuta reflexiva. Tenha em mente que isso não significa, necessariamente, concordância com o ponto de vista do outro. Em vez disso, significa compreensão e vontade de participar em conversas, não importa quão difícil.

2. Antipatia

Antipatia é um assassino definitivo de intimidade. Ela geralmente surge quando um parceiro (real ou percebido) apresenta uma falta de responsabilidade ou inação. Quando esse comportamento continua, mesmo depois de a questão ser discutida, um ou ambos os parceiros são suscetíveis a abrigar esse ressentimento silencioso. Mais uma vez, esse silêncio resulta de sentimentos de futilidade.

De acordo com a Dra. Alicia H. Clark, a solução “é canalizar o choque do comportamento de seu cônjuge em empatia, tentar compreendê-lo e abordar a situação de sua perspectiva”. Idealmente, um acordo mútuo será estabelecido, o que pode exigir compromisso de ambos.

3. Desapontamento implícito

Admitir decepção para alguém que você ama é uma coisa difícil de fazer. Na verdade, alguns relacionamentos terminam por causa da decepção não expressada. Um ou ambos os parceiros podem ficar sem reação até mesmo para problemas percebidos no outro.

Dr. Mark Goulston, considerado um dos melhores psiquiatras de crise nos Estados Unidos, diz:

“… admita a decepção para si mesmo, sinta toda a sua extensão e, em seguida, conte-a para a outra pessoa … isso realmente te libera da dor, que se dissipa, vai embora, e permite que você comece a se curar. ”

4. Falta de confiança

Independentemente da razão, abrigar sentimentos de desconfiança sempre se manifestará em sentimentos de tensão. Na maioria dos casos, a relação irá deteriorar-se por uma das várias razões relacionadas.

Melanie Greenberg, PhD, oferece o seguinte conselho para aqueles com problemas de autoconfiança: “Se você está suprimindo partes importantes de si mesmo para acomodar seu parceiro, é importante reconhecer suas necessidades não satisfeitas e trabalhar nelas … encontrar soluções. Terapia é muitas vezes necessária para ajudar a reparar lesões devidas a assuntos, vícios, ou outras formas de indisponibilidade, instabilidade e controle.

Fonte: Power of Positivity

Tradução: O Segredo

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Vida em Equilíbrio

Vida em Equilíbrio

Para viver bem, é necessário ter a saúde corporal e mental em equilíbrio. Nossa intenção é proporcionar todo o conteúdo que irá lhe ajudar a ter uma vida mais saudável.