75 anos de estudo para a chave da felicidade

                Teorias da chave da felicidade existem várias. Alguns dizem que cada um tem a sua, com seu próprio motivo para ser feliz. Talvez esse seja o caso e por isso esse assunto parece não ter uma resposta final. Mas eu sou fascinado por estudos que tentam traduzir esses sentimentos abstratos para algo mensurável, ou pelo menos palpável, e assim obter uma aproximação do que seria uma boa solução para esses mistérios.

                Um estudo de mais de 75 anos de duração, feito pela Universidade de Harvard, tentou exatamente isso. Eles acompanharam a vida de centenas de pessoas, algumas delas do nascimento ao falecimento, para encontrar respostas que indicassem um catalisador ou fonte relevante e consistente para a felicidade. Engraçadas foram as respostas que eles obtiveram quando questionaram os objetos de estudo, as pessoas, sobre o que eles acreditavam ser o que as providenciaria felicidade. Se você tivesse que adivinhar, o que diria? Bem, o que predominou nas repostas foi “dinheiro”, “fama”.

                 A conclusão para o denominador comum da felicidade que eles encontraram foi, entretanto, muito diferente. O hábito de ter bons relacionamentos apareceu como sendo a chave para uma vida mais feliz. Pessoas que nutrem bons relacionamentos são de fato mais felizes, saudáveis e vivem mais. Incrível.

              Quando pensamos em pessoas com bons relacionamentos e um círculo social desenvolvido, tendemos a pensar em quantidade, naquelas pessoas populares. Mas não, o que interessa e é de fato significativo para providenciar um estado de felicidade é a qualidade que esses relacionamentos apresentam. É quando sentimos que, haja o que houver, poderemos contar com a outra pessoa, que o relacionamento nos auxilia a uma vida mais feliz.

                  Podemos nos sentir solitários em uma festa, no ambiente de trabalho ou até mesmo em um casamento. O que é ainda mais gritante é que maus relacionamentos de fato nos prejudicam. Ou seja, podemos na realidade estar mais felizes tendo nos separado a permanecer naqueles relacionamentos cheios de conflitos e estresse, em que não sabemos se podemos contar com o outro.

                  Relacionamentos não são soluções rápidas. Ironicamente, essa resposta inclui diversas perguntas. O que é necessário para desenvolver um bom relacionamento? E se o outro fizer isso? E aquilo? Devo ceder sempre? Construir esse tipo de troca com outra pessoa, de maneira tão saudável e recíproca, não tem um atalho. Requer esforço, aceitação e troca.

                   Eu gosto da ideia de que nada que valha a pena é conquistado facilmente, mas ser feliz me parece valer o esforço.

Link para o estudo: http://www.adultdevelopmentstudy.org/

Gabriel
Vida de Titã
youtube.com/vidadetitã
facebook.com/vidadetita

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Gabriel - Vida de Titã

Apaixonado pela vida e pelo desenvolvimento pessoal. Meu projeto é o canal no youtube Vida de Titã. Também escrevo artigos semanais para o blog da empresa de inteligência masculina SuperBoss.