5 filmes para você questionar o seu entendimento sobre a vida

Não espere encontrar aqui uma lista com o nome do diretor ou dos atores que participam. Você também não encontrará o ano do lançamento, nem o país. Procure despir-se de qualquer pré-conceito que você possa ter o hábito de carregar antes de escolher qual filme irá assistir, afinal quando nos limitamos a assistir pelo diretor, ator ou pontuação em um site de crítica, corremos o risco de perder grandes obras.

Digo isso, porque para aqueles que estão acostumados com o padrão hollywoodiano de fazer filmes, poderá ser um tanto estranho assistir alguns desses listados aqui.

Certamente todos esses filmes são significativos para mim devido a minha maneira de olhar para vida, dessa forma, vocês poderão extrair ainda mais coisas que eu, a partir da perspectiva de vocês. Deixem nos comentários suas opiniões 🙂

Vamos lá?

One Week (Uma Semana)

“Quando temos aqueles raros momentos de clareza, aqueles instantes em que o universo faz sentido, tentamos desesperadamente agarrarmo-nos a eles. Eles são os barcos salva-vidas para os tempos mais escuros, quando da vastidão de tudo isso, a natureza incompreensível da vida nos escapa por completo. Então a questão torna-se, ou deveria tê-lo sido sempre: O que fariam se soubessem que tinham apenas um dia, ou uma semana, ou um mês de vida? A que barco salva-vidas se agarrariam? Que segredo contariam? Que banda iriam ver? A que pessoa declarariam o vosso amor? Que desejo realizariam? A que local exótico viajariam para tomar um café? Que livro escreveriam?”

Into the Wild (Na Natureza Selvagem)

“Fazer uma mudança radical em seu estilo de vida e começar a fazer as coisas com coragem que você pode nunca ter pensado em fazer, ou foi muito hesitante para tentar. Assim, muitas pessoas vivem dentro de circunstâncias infelizes e ainda não vai tomar a iniciativa de mudar sua situação porque está condicionada a uma vida de segurança, conformidade, e conservação, as quais podem aparecer para dar uma paz de espírito, mas na realidade nada é mais prejudicial para o espírito aventureiro dentro de um homem que um futuro seguro. O núcleo básico de espírito de um homem vivo é a sua paixão pela aventura. A alegria da vida vem de nossos encontros com novas experiências e, portanto, não há maior alegria do que ter um horizonte sem fim alterando, para cada dia para ter um sol novo e diferente. Se você deseja obter mais da vida, você deve perder a sua inclinação para a segurança monótona e adotar um estilo de atabalhoadamente de vida que a princípio parece que você seja louco. Mas uma vez que você se acostumar com uma vida que você vai ver o seu sentido pleno e sua beleza incrível.”

Waking Life (Acordar para a Vida)

“Passamos pela vida esbarrando uns nos outros, sempre no piloto automático, como formigas, não sendo solicitados a fazer nada de verdadeiramente humano. Pare. Siga. Ande aqui. Dirija ali. Ações voltadas apenas a sobrevivência. Toda comunicação servindo para manter ativa a colônia de formigas de um modo eficiente e civilizado. “O seu troco”, “Papel ou plástico?”, “Crédito ou débito?”, “Aceita ketchup?”. Não quero um canudo. Quero momentos humanos verdadeiros. Quero ver você. Quero que você me veja. Não quero abrir mão disso. Não quero ser uma formiga, entende?”

Being There (Muito Além do Jardim)

Esse é um filme bastante singular, diverte e funciona como parábola sobre os mistérios da condição humana.  Nele, você conhecerá Chance, um homem ingênuo com a experiência de vida restringida ao jardim da residência de seu patrão, ao convívio com os demais funcionários e a ver televisão.

Após ser despedido devido a morte do dono da casa, Chance precisará ter um contato maior com a sociedade pela primeira vez, seu discurso nas ruas será de jardineiro, falará de modo objetivo de flores, árvores e estações do ano. Não entende o que significa a palavra “metáfora”, não conhece normas, nem nada que pressupomos que todos conheçam. Ele fala a partir de uma visão de mundo aparentemente restrita às coisas do jardim, porém as pessoas insistem em ver significados ocultos onde não há nenhum. E tomam-no como sábio.

Suas palavras chegam a inspirar um discurso do presidente norte-americano preocupado com a recessão, “Outono e inverno. Depois, primavera e verão”, diz Chance. Ele fala, objetivamente do jardim, mas o presidente acredita ser uma metáfora de esperança para a nação, então passa a usar suas falas.

Esse filme abre um leque para diversos questionamentos, assista e tire suas próprias conclusões.

Mindwalk (O Ponto de Mutação)

Não espere encontrar no roteiro um grande romance, ação ou suspense, trata-se de conversas entre um político, um poeta e uma cientista, que perpassam assuntos como: Filosofia, ciências, ecologia, política, física quântica, poesia, guerras e tecnologia.

Eis um belíssimo filme que alia a ciência moderna com a sabedoria antiga.

 

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Isadora Tabordes

Isadora Tabordes

Cofundadora e desenvolvedora do site Vida em Equilíbrio, estudante de Filosofia na Universidade Federal de Pelotas.

"Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.
Janelas do meu quarto, do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é...
E se soubessem quem é, o que saberiam? Fernando Pessoa