Artigos Colunistas

Somos metamorfos: a luta pela felicidade

Diego Franzen
Escrito por Diego Franzen

Outro final de semana está chegando. Mais um! Ou seria menos um?

São grandes as dúvidas e reflexões que temos ao longo da vida, desafios, jornadas, dilemas, batalhas. Creio que nossa existência é valiosa demais para ser desperdiçada na mediocridade.

Não podemos nos limitar a apenas seres capazes de transformar oxigênio em monóxido de carbono, tornando-nos ilustres inúteis que culpam um enorme dedo metafísico por tudo de bom e ruim que ocorre em nossa vida, porque um dia um maluco resolveu comer uma maçã!

O mundo é do tamanho dos nossos sonhos.

Não há barreiras que digam a um homem determinado “daqui não passarás”.

Vencer, vencer, vencer! É para isso que estou aqui.

A felicidade se manifesta desde as pequenas coisas, como por exemplo, na natureza. O pássaro que abre suas asas e se aventura em um primeiro voo, indo do abismo assustador e brutal a uma liberdade manifesta de forma indescritível durante o seu vôo, onde ele pode ir e pousar aonde quiser.

Na lagarta, que contrasta um mundo lamacento e limitado, de dificuldades, incertezas e sofrimento, com os grandes horizontes que podem ser vislumbrados por uma alada borboleta, oriunda de uma metamorfose.

E a transformação, meus amigos, vem sempre de dentro pra fora.

O que você está fazendo de sua encarnação?

Independente de sua crença, o que fazes de vossa existência atualmente?

A alegria e a harmonia são o nosso destino, sempre!

Saber, Querer, Ousar e Calar!

Ide Homo Sapiens, encontre a si mesmo em uma mágica transmutação!

Sinta a Força que age em tudo e todos.

Forma e essência.

É muito bom ser feliz!

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Diego Franzen

Diego Franzen

Jornalista e Escritor, nascido na cidade de Cruz Alta RS e residindo em Bento Gonçalves RS.
É autor dos livros "Tempora Hostem", um romance policial e esotérico ambientado na Serra Gaúcha e de "Lendas Urbanas de Cruz Alta", uma coletânea de fatos pitorescos ocorridos em sua cidade natal. Atualmente trabalha no romance "A Pedra Oculta", que é ambientado no Rio Grande do Sul no período da Revolução Federalista.