4 passos para a felicidade, segundo a antiga sabedoria yogi

Estudioso de Vedanta afirma que para ser feliz é preciso desapegar de expectativas e do materialismo.

A felicidade não é apenas uma emoção, é um estado de ser, uma escolha, e – sobretudo – um modo de vida, de acordo com o que acredita os praticantes de Yoga, os chamados yogis. Ram Banerjee, co-fundador do World Yoga Festival, um evento que reúne mestres de Yoga, acredita que a felicidade é algo que vem mais de dentro de si mesmo do que do mundo exterior.

Ele compartilhou seu conhecimento com o site Health e ensinou os 4 passos para a felicidade, baseados em 4 objetivos, que em sânscrito, são conhecidos como Dharma, Artha, Kama e Moksha. Esses passos têm origem na Vedanta, uma sabedoria milenar indiana que busca pelo autoconhecimento e desenvolvimento mental, emocional e espiritual

Confira abaixo os 4 passos para a felicidade:

Passo 1: DHARMA – siga o caminho do menor dano

O dharma, nesse contexto, significa ético, o que é difícil de definir e melhor explicado como o caminho do menor dano. Isso não significa muito por si só, mas no contexto de uma vida, significa viver sua vida de maneira ética.

De acordo com Ram Banerjee, se optar por não seguir a ética e prejudicar os outros na tentativa de se beneficiar, o  ganho momentâneo é transformado em uma grande perda à medida que a culpa toma conta. E Banerjee defende que toda  a felicidade é perdida quando se tem que se preocupar com a culpa.

Passo 2: ARTHA – compartilhe todas as suas fortunas com os menos afortunados

pessoas reunidas em torno de uma mesa no festival de yoga

Crédito: reprodução/FacebookRam Banerjee (ao centro) durante o Festival de Yoga

Artha significa riqueza ou segurança. A riqueza não precisa ser apenas riqueza monetária, mas qualquer coisa (como tempo, poder ou conhecimento) que se tenha em quantidade suficiente para poder compartilhar em benefício dos outros.A segurança está no contexto de abrigo, comida e vestuário, bem como seu significado clássico de segurança contra danos.

Os antigos sábios reconheceram que você não pode ajudar ninguém se você estiver em necessidade. Você precisa de dinheiro para ajudar os pobres, você precisa de saúde para ajudar os doentes e você precisa de força para ajudar o reprimido.

De acordo com Banerjee, se você não puder fornecer os elementos essenciais da vida para si mesmo, seus dependentes e companheiros, então, você não poderá ser feliz. Artha, portanto, é o segundo dos objetivos da vida.

Passo 3: KAMA, desejo como força motriz para a realização

Kama significa desejo e, de acordo com Banerjee, sem ele não haveria ação. “É por causa do seu desejo de acordar que você sai da cama pela manhã. Todas as nossas ações são movidas pelo desejo. Em outras palavras, não pode haver ação sem desejo. Uma vida sem ação não tem sentido”, explica.Porém para ser feliz é preciso desapegar do resultado da ação. Do contrário, a frustração pode surgir se o resultado não for o que era esperado. É preciso lembrar sempre que o resultado é algo que foge do nosso controle e, portanto, aceitação é algo a ser trabalhado.

Ram falando o microfone

Crédito: reprodução/Facebook“Você inicia ações através do seu poder de vontade, mas o resultado está muito além do seu controle”

Passo 4: MOKSHA, liberte-se do materialismo

Moksha significa libertação ou liberdade. Liberdade de quê? Liberdade dos três objetivos acima!

“Quando você tiver eticamente alcançado tudo o que deseja do mundo, chegará à conclusão de que os objetos não são a fonte da felicidade. Um sorvete de pistache pode lhe dar uma alegria incrível, mas um balde repleto de sorvete certamente trará tristeza. O mesmo sorvete, mas resultados diferentes. A alegria não pode estar no sorvete”, explica o estudioso.

Fonte: Catraca Livre

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Vida em Equilíbrio

Vida em Equilíbrio

Para viver bem, é necessário ter a saúde corporal e mental em equilíbrio. Nossa intenção é proporcionar todo o conteúdo que irá lhe ajudar a ter uma vida mais saudável.