Equilíbrio é a chave para um mundo melhor

É possível e provável que o que há de errado com a sociedade, seja a falta de cuidado com nós mesmos, passamos tanto tempo olhando para fora, e de tanto olhar, o olho fica viciado no mundo, faminto por ele, ofuscando a visão da mente; criando um desequilíbrio constante que nos polariza, e acabamos por adquirir um comportamento predatório em relação ao mundo e aos outros, sedentos por mais, até que a mente esteja tão cheia, que dentro de nós seja um espelho do mundo e não o abrigo da alma, do ser divino, do eu…

Equilíbrio é a chave. Há um conto que fala sobre o dia em que Siddhartha alcançou a iluminação, o trecho essencial é:

“Certo dia, Siddhartha viu um velho músico num barco que passava próximo à margem do rio, que dizia ao seu aluno:
– Se você, meu caro aluno, esticar muito a corda de seu instrumento, ela se arrebentará. E se deixá-la muito frouxa, não haverá música.
Siddhartha, ouvindo estas simples palavras, entendeu que elas guardavam uma profunda verdade.”

Temos a impressão de que há algo de errado no mundo, mas isso é um erro, só há erro nas pessoas, o mundo é o que é, e não importa o que você acredite, ele tem seu ritmo, com funções definidas e balanceadas, a terra natural é perfeita; nós que ainda temos um longo caminho a percorrer. Não somos perfeitos, mas somos perfectíveis, e é aí que está o mister da sabedoria, que mudará o que alteramos, para o mundo melhor que almejamos.

Há muito o que olhar com a mente; então vamos trabalhar, esculpindo a nós mesmos na mais bela obra que pudermos, buscando todos os dias, aperfeiçoar o instrumento que ecoa a nossa essência; nossas palavras e nossa voz, nossa alma e nossa música, em todos os sentidos; assumindo diversas formas, sendo, por vezes pensamentos, por vezes ações. Agindo e interagindo, com nós mesmos, com os outros, e com o todo. A chave que os sábios deixaram, funciona para todos; abrindo mentes, destrancando corações; mas só funciona para o mundo, quando restaurarmos o equilíbrio em nós, de maneira a abrir as portas, desse mundo melhor.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Milton Lavor

Milton Lavor

Acredito na força das ideias como forma de mudar o mundo. Estudante de Engenharia elétrica para potencializar as contribuições ao todo. Escritor, desenhista e pintor como resultado do que transborda. Servidor público como profissão e filosofia como paixão. Alguns detalhes escapam por falta de espaço.