O melhor presente para as mães…

O dia das mães é uma data importante, um marco verdadeiro na passagem do ano, onde nós podemos expressar amor pelas mulheres mais importantes do mundo, e, essa oportunidade, deve ser plenamente aproveitada. Um bom observador, encontra o que deve aprender; vendo o instinto primeiro, uma mãe e seu bebê; abraços e beijos dão o tom dos encontros, há foco nos abraços, demorados e apertados, respirando o momento, tentando guardar bem na memória cada detalhe, cheiro, calor, textura, a mãe permite-se o momento, se entrega a conexão, pois sabe o valor de tudo isto. Possivelmente, esse momento será um tesouro guardado nas lembranças dos dois, um momento que não tem preço.

A mãe é a porta de entrada para o mundo, o canal pelo qual recebemos e aprendemos a enxergar o amor, e ainda são elas que nos ajudam nas passagens entre as fases da vida, até certo ponto, nossas relações, com nossas mães, darão a tônica das nossas relações afetivas, então para consertar algo em si, comecemos com nossas mães, o processo será muito mais significativo, duradouro e profundo. Sejamos capazes de expressar afeição. Conversar com ela, se possível, como um ser humano, passível de erros, com expectativas e desejos; com a mesma vontade — e direito — de ser feliz que a sua. Logo, boas palavras, bons pensamentos e boas ações devem permear os diálogos, mas também compreensão, pois somos imperfeitos, em constante mudança, aprendendo a lidar com o todo e com nós mesmos; é complicado para todos nós, lembremos que ela não é diferente. Demora um tempo, e talvez possa ser traumático retirar a mãe do altar; mas saibamos, o altar é solitário e muito afastado do calor do filho, também é incompatível com a condição de ser humano, então trazê-la para perto será melhor para todos os envolvidos, se ainda não o fez, considere seriamente a possibilidade, e veja um mundo de possibilidades se abrir para você e sua mãe, sem contar que é muito mais fácil compreender outra pessoa, a partir do mesmo plano. A felicidade não se espera, devemos agir.

Com essas mulheres, temos os primeiros encontros com o amor abnegado, que só iremos entender, ao olhar para os nossos próprios filhos, ou, ao escolher alguém para cuidar como um filho. Acredito que no ciclo da vida, o aprendizado mais próximo da plenitude, passa pelo ato de cuidar, é o amor derradeiro, doar-se em prol do outro, e isso, todas as mães fazem em dado momento da vida. Por isso exercem tanta fascinação, pois o fazem, primeiramente de corpo; compondo uma canção, que tomará fôlego, e ecoará vida; e que mesmo tendo sido dela, também será do mundo. É difícil condensar em palavras, a complexidade e grandiosidade desse amor, como filhos, temos o vislumbre desse, nos olhos de nossas mães; somos o destinatário desse amor, mas temos que aprender muito mais com elas sobre como doar-se em amor. O filho que evolui, ao ponto de amar sua mãe, como ser humano, poderá dar a ela, o maior presente que alguém pode receber, alguém que ama por completo.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Milton Lavor

Milton Lavor

Acredito na força das ideias como forma de mudar o mundo. Estudante de Engenharia elétrica para potencializar as contribuições ao todo. Escritor, desenhista e pintor como resultado do que transborda. Servidor público como profissão e filosofia como paixão. Alguns detalhes escapam por falta de espaço.