Abrace suas sombras!

“As mentiras que contamos para nós mesmos que nos aproximam dos demônios.”

Há poucos dias estava olhando um filme na Netflix, Devil (2010), um suspense que lendo a sinopse era daqueles que se pensa “não pode prestar”…

São 5 pessoas desconhecidas presas num elevador que morrem uma a uma. Erro meu, filme era muito bom!

 

               Capa do filme

Mas o que mais me marcou no filme foi uma das frases do detetive Bowden:

“As mentiras que contamos para nós mesmos que nos aproximam do ‘demônio’.”

Achei simplesmente genial.

Na maioria das vezes, as pessoas costumam transferir a culpa de seus problemas para qualquer coisa, que dependendo de sua crença recebe um nome, ou vários!

Como o Gregório Duvivier adooooraa satirizar: diabo, demônio, lúcifer, capiroto, satã, tinhoso, espíritos malignos, seres das trevas … e por aí vai…sim, a galera é criativa!

Quando na verdade, na maior parte das vezes nós criamos nossos “demônios”. Isso mesmo, personalizado e tudo, são tipo “feito sob medida”.

Por que digo isso? Porque é muito difícil olhar para dentro de nós mesmos.

Quase não vemos pessoas admitindo fraquezas, erros e coisas negativas, é muito mais fácil criticar o coleguinha.

Mas aí a pessoinha está lá, cheia de problemas de diversas naturezas, reclama da vida até não poder mais, e eu pergunto:

O que está fazendo para se ajudar? N A D A!

Ou seja, é necessário tirar um tempo pra refletir sobre nós mesmos.

Se dá medo? Certamente!

No entanto, Osho já dizia que o ser humano tem medo de olhar para dentro e não achar nada ou não gostar do que verá.

Viu e não gostou? Muda!

Mas só poderá mudar a partir do momento que identificar, e só vai identificar quando parar, refletir e enfrentar esses “demônios”.

Com isso tudo, não estou dizendo que não acredito que forças externas não nos prejudicam, muito pelo contrário, acredito e muito.

Por outro lado,  também acredito que somos responsáveis pela nossa vida, pelo rumo que ela segue.

Nós permitimos a entrada das energias externas através das energias internas que emitimos.

Então “bora lá”, tirar uns minutos por dia, olhar para dentro e expulsar esses demônios, ou seja lá o nome com o qual batizou o seu.

O que acha?

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Deise Riboli

Deise Riboli

Oii, sou a Deise, gaúcha, 31 anos.
Formada em História pela Unisinos/RS, gosto muito de escrever e palestrar sobre assuntos de relacionamentos, desenvolvimento pessoal e espiritualidade.
Apaixonada por cães, gatos, viagens e experiências gastronômicas <3
Sou palestrante, social media e terapeuta holística no espaço Carpe Diem - Terapias Alternativas, onde atendo com radiestesia e radiônica - atendimentos presenciais ou à distância ;)