Artigos Colunistas

O Simbolismo Esotérico de He-Man

Diego Franzen
Escrito por Diego Franzen

Hoje vou postar um texto de minha autoria que tem mais de uma década. Enfim, vou falar de um personagem bem interessante. Trata-se do HE-MAN. Quem não se lembra dos acordes maravilhosos da Abertura do desenho “Mestres do Universo”? Porém, vejo muito simbolismo iniciático neste desenho. Convém lembrar que esta é uma pesquisa minha e por essa razão, sujeita a falhas e interpretações.
He-Man é um personagem que vive no planeta Etérnia, um mundo aparentemente medieval, mas repleto de tecnologias avançadas. Etérnia também é repleto de seres mágicos e míticos. Enquanto o planeta é comandado pelo justo rei Randor, o vilão Esqueleto tenta dominar o castelo de Greyskull, e assim ter o controle de todo o universo, que é protegido por He-Man, nada menos que Adam, o príncipe filho de Randor.
Na série animada, He-Man realiza feitos espetaculares como: destruir um diamante somente com as mãos; segurar uma avalanche sobre o corpo; se libertar sozinho de um sarcófago de Potânio, o “metal mais forte do Universo” do seriado; destruir uma parede de 12 metros de espessura com um simples soco; além de erguer e arremessar o próprio castelo de Greyskull; dentre outros.
Vamos analisar, agora, friamente, o simbolismo esotérico de He-Man. Inicialmente, vamos lembrar que He-Man monta o Gato Guerreiro. Esse animal lembra o leão descrito no Arcano 11 do Tarô (A Força). Isso sem se aprofundar no grande simbolismo existente no gato. Com o poder da Espada, He-Man transforma o Pacato no Gato Guerreiro. Quer referência mais iniciática do que essa? Bom tem mais.
O príncipe Adam (isso mesmo, Adam, de Adão Kadmon) recebe o poder de se transformar em He-Man através da Feiticeira do Castelo de Greyskull (Caveira Cinzenta). Os aspectos deste misterioso castelo nos lembram um templo e sua entrada lembra o “Terror do Umbral” conhecido pelos rosacruzes ou ainda a “Câmara de Reflexões” dos maçons. Enfim, Ordens tradicionais tem seu simbolismo. Lá, a Feiticeira (que associo à carta da Grande Sacerdotisa), ou seja, a Sofia, dá o Poder ao príncipe Adam. Eliphas Levi nos dizia que deveríamos ser Reis e Sacerdotes para dominar os Arcanos. Adam é o príncipe e o destino do príncipe é se tornar rei. Vale lembrar que a Sacerdotisa é o Arcano 2, relacionado à letra Beth. A manifestação começa pelo binário. “Bereshit…..”. A Feiticeira também se transforma em uma águia, o que podemos analisar pelo lado arquetípico de diversas formas.
Já pararam para pensar no nome HE-MAN? Tentaram traduzir? Pois é meus amigos, a cabala entra aí. HE-MAN. He, a quinta letra do Alfabeto Hebraico, associado diretamente ao quinto Arcano, O HIEROFANTE. Aí entra o sacerdote.
Porém, esta minha teoria ganha ainda mais embasamento quando eu começo a crer que “Man” é apenas uma alusão muito bem feita à letra “mem”, que representa o Arcano 13, a Morte. Aliás, convém destacar que o inimigo do He-Man é a Morte, o Esqueleto.
Vamos analisar as letras HE-MEM. O HE vale 5 e o MEM vale 30. Somando os dois temos 35, o que pela adição teosófica dá 8. O Arcano 8 no Tarô é a JUSTIÇA” Logo, os arcanos indicam que He-Man é o príncipe Adão (homem primordial, em seu estado de pureza) que pelo poder da Espada se torna um cavaleiro da Justiça. Assim, podemos também explicar a cruz que ele carrega junto ao peito, que é rica em significados.
Sei que muitos irão se perguntar sobre a SHE-RA. Bom, poderemos analisar sobre dois prismas. Um deles é associar às Letras Shin e Resh. Neste caso, Shin vale 300 e Resh vale 200, onde teríamos 500. Associado, portanto, ao Arcano 5, que seria o Arcano do Hierofante. Podemos analisar que o autor criou um binário bem interessante, pois o Homem tem um HE, letra Feminina e a mulher tem um SHIN, letra masculina. Neste caso que acredito que possa haver uma influência de ensinamentos de Aleister Crowley.
Porém, considerando a possível influência de Crowley, devemos considerar que o Arcano 8 seria A Força e não a Justiça, pois estes dois arcanos estão invertidos no Tarô da Golden Dawn. Logo, quando He-Man diz “Eu tenho a Força” está se referindo ao resultado de sua Operação, pois ele transforma o Pacato no Gato Guerreiro, a Fera que está na Carta da Força. E a soma do HE-MEM resulta na Força, em operação iniciada pelo príncipe Adam através da espada que recebeu da Feiticeira (a dama do lago também entregou uma espada ao Rei Arthur). Quando She-Ra diz “Pela Honra de Greyskull” está resultando no Hierofante e ela transforma o cavalo em unicórnio e encerra a Operação dizendo “Eu Sou She-Ra”. Mas confesso que no caso da She-Ra dei uma forçada pra achar algo. Acredito que, devido ao sucesso do He-man, criaram uma personagem feminina pra agradar às meninas. Porém, vale lembrar que o melhor amigo da She-Ra é o arqueiro, que está associado ao signo de sagitário e à casa 9 do ciclo astrológico, que está ligado à iniciação.
Enfim, gostaria de colocar essa minha teoria para debate e reflexão. Mas todos sabíamos e sabemos que havia muito mais coisas por trás da cruz de malta no peito do He-Man.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Diego Franzen

Diego Franzen

Jornalista e Escritor, nascido na cidade de Cruz Alta RS e residindo em Bento Gonçalves RS.
É autor dos livros "Tempora Hostem", um romance policial e esotérico ambientado na Serra Gaúcha e de "Lendas Urbanas de Cruz Alta", uma coletânea de fatos pitorescos ocorridos em sua cidade natal. Atualmente trabalha no romance "A Pedra Oculta", que é ambientado no Rio Grande do Sul no período da Revolução Federalista.