Artigos Colunistas

Fui convidado pra ser Illuminati…

Diego Franzen
Escrito por Diego Franzen

Recentemente recebi no Instagram um convite inusitado. O cidadão me convidou, através de uma mensagem enviada ao direct, para fazer parte de uma Sociedade Secreta Lendária, que alimenta as mais diversas teorias da conspiração e o imaginário popular. Que é piada frequente entre humoristas e que é um dos maiores pesadelos de pessoas que acreditam em teorias das conspirações. Falo dos Illuminati.

Bom, inicialmente vou colocar aqui a mensagem que recebi:

Saudações, bem-vindo ao mundo illuminati.
Trazendo os pobres, os necessitados e os talentos à frente da fama e da riqueza. Consiga dinheiro, fama, poderes, segurança, seja reconhecido nos seus negócios, raça política, suba ao topo em tudo que faz, seja protegido espiritual e fisicamente! Tudo isso chegará a você em um piscar de olhos quando você começar no GREAT TEMPLE ILLUMINATI. Você está interessado em se tornar um com a sociedade da luz?
Whatsapp #”

Ocultei propositalmente o número do telefone. Mas vamos aos fatos.

Convém ressaltar que esta Ordem lendária foi fundada por um senhor chamado Adam Weishaupt. A Ordem dos Iluminados da Bavária, ou os Illuminati para os íntimos não chegou a durar dez anos. Ela inicialmente teve o nome de Ordem dos Perfectibilistas. Foi criada como uma espécie de contraponto maçônico, uma vez que os membros perfectibilistas não tinham condições financeiras de honrar compromissos de uma filiação maçônica. Esta Ordem ensinava que existia uma iluminação racional, fora e acima da fé, acessível a qualquer pessoa, e poderia levar a uma maior perfeição. Se declaravam inimigos da Igreja e também não eram muito simpatizantes dos rosacruzes. Até recrutavam alguns maçons, por essa ser uma ordem de moralidade e que estava muito na moda entre os homens do Século XVIII.

Weishaupt declarava que não estava a fim de fazer o jogo e abusar das sociedades secretas. Planejava fazer uso dessa mania humana para um objetivo real e digno, para o benefício das pessoas. E queria fazer o que os chefes das autoridades eclesiásticas e seculares deveriam ter feito, em virtude de seus cargos .

Weishaupt a nomeou a “Ordem dos Perfectibilistas”, adotando o codinome de “Irmão Spartacus“, alegando ser um libertador da consciência humana, arrebatando o homem de dogmas e religiões que os escravizavam. Porém, posteriormente acabaram mudando o nome para Ordem dos Iluminados da Bavária, que depois virou Illuminati.

Embora a Ordem não fosse igualitária ou democrática, sua missão era a abolição de todos os governos monárquicos e religiões de Estado na Europa e suas colônias. Mas acreditavam estar fazendo o bem. Era algo do tipo “Liga da Justiça Sombria”

A associação era uma rede bem elaborada de espiões e contra-espiões. E assim o senhor Weishapt conseguiu montar sua rede de iniciados que, apesar de poucos, conseguiram se expandir pela Europa, instalando lojas na Alemanha, França, Áustria, Itália, suíça e Rússia.

No ano de 1777 Weishaupt conseguiu realizar o seu sonho e ingressou na Maçonaria, na Loja Theodor zum guten Rath, em Munique. Ele queria transformar a Maçonaria em algo além do que simples encontros sociais.

Porém, Weishaupt era uma pessoa de linguagem rude, extremamente radical e polêmico. E sendo um inimigo da religião, logo comprou briga com o Estado e com a Igreja católica Romana. E com os próprios maçons, que lhe deram um belo placet ex-ofício.

Os textos e tratados do iluminado acabaram sendo interceptados no ano de 1784 e a Sociedade acabou sendo proibida pelo governo de Karl Theodor.

No dia 22 de junho de 1784 foram emitidas ordens de preseguição e prisão. Weishaupt se mandou para a Saxônia. E não foi muito difícil acha-los. Os minervais, que eram os aprendizes, falaram demais em sociedade e quando chegou o momento, todo mundo sabia quem era quem. Na casa de Weishpaupt foram encontrados documentos que comprovavam que ele queria dominar todas as facetas da Maçonaria, para derrubar as monarquias da Europa e destruir a Igreja Católica Apostólica Romana, usando métodos semelhantes aos usados pelos jesuítas para se defender dos protestantes.

O senhor Weishaupt era uma pessoa com complexo de grandeza, mas na realidade era um cidadão frustrado. Ele um homem com sérios problemas comportamentais e hoje facilmente seria um paciente psiquiátrico.

Mas vamos além. O fato é que nas últimas duas décadas os Illuminati acabaram ganhando notoriedade no romance de Dan Brown chamado “Anjos e Demônios”, onde há uma conspiração de vingança Illuminati pelo que a Igreja teria feito com Weishaupt e então sequestram os preferitti (os cardeais mais cotados para serem papas) em pleno conclave. Aliás, esse livro é maravilhoso e eu recomendo.

Hoje vemos listas de possíveis Illuminati que vão desde Isaac Newton até a Lady Gaga. Mas isso é tudo bobagem. Os Illuminati foram extintos no ano de 1875 e qualquer organização que se intitule hoje em dia, não tem qualquer vinculação direta ao movimento de Weishaupt. No máximo uma inspiração. E é extremamente antagônico um cidadão entra em uma Ordem buscando poder, riqueza e reconhecimento em negócios em uma ordem que foi fundada por um cara que não tinha nada disso. Ademais, essas coisas vem com trabalho, dedicação, honra. Um cara que aceita um convite semelhante ao que me foi enviado merece ser lesado e perder dinheiro, por burrice. Afinal, já dizia o velho ditado: “Chapéu de otário é marreta”.

Outro detalhe é que pessoas buscam símbolos Illuminati pra alimentar teorias da conspiração. E usam o olho que tudo vê. Bom, pra começar, esse símbolo que ostenta a nota de dólar só foi adotado pela Maçonaria quase uma década depois da independência dos Estados Unidos. Os illuminatti nunca utilizaram esse símbolo, que tem origem católica. O símbolo da Ordem criada por Weishaupt era a coruja de minerva (e por isso existia um grau chamado minerval). Coruja essa que também é o símbolo da filosofia.

Mas os rosacruzes não tem um grau Illuminati? Sim, eles tem. Mas não tem qualquer ligação com a Bavária. Trata-se de uma referência a “iluminação espiritual”, uma vez que essa palavra vem do latim.

Enfim, esse é um ponto que acho importante frisar, pois existem dezenas de entidades que se intitulam Illuminati, maçônicas (Ordem que jamais recrutará alguém pela internet), rosacruzes, templárias e servem apenas para tirar dinheiro dos bobos. Sempre é bom pesquisar essas entidades antes. Dez, quinze minutos no Google são suficientes para você saber onde está se metendo.

Comentários

Comentários

Sobre o autor

Diego Franzen

Diego Franzen

Jornalista e Escritor, nascido na cidade de Cruz Alta RS e residindo em Bento Gonçalves RS.
É autor dos livros "Tempora Hostem", um romance policial e esotérico ambientado na Serra Gaúcha e de "Lendas Urbanas de Cruz Alta", uma coletânea de fatos pitorescos ocorridos em sua cidade natal. Atualmente trabalha no romance "A Pedra Oculta", que é ambientado no Rio Grande do Sul no período da Revolução Federalista.